MySpace entrevista Chuck Comeau

simple-plan-huttch-windsor-041

Recentemente o MySpace.com divulgou uma nova entrevista com Chuck Comeau, baterista do Simple Plan. Na entrevista, foram abordados temas como o feat com Nelly, o single “Opinion Overload”, o álbum “Taking One For The Team” e a relação da banda com seus fãs. Leia a entrevista traduzida abaixo!

A banda fala sobre “Taking One For The Team” e trabalhar com Nelly

Quinze anos desde que o Simple Plan se tornou um marco pop-punk com hits como “Perfect” e “Addicted”, os rockeiros canadenses continuam florescendo sem se afastar muito de seu som clássico.

Depois de dois anos e meio em turnê em apoio ao lançado de 2011 de “Get Your Hear On”, Pierre Bouvier e seus colegas de banda começaram a escrever o início de um novo álbum. O que eles não perceberam, porém, foi que eles escreveriam mais de 80 canções ao longo de um ano e meio para completar seu quinto álbum. “Honestamente, nós pensamos que isso se reuniria mais rápido do que realmente aconteceu”, explica o baterista .

O álbum resultante, esse ano “Taking One For The Team”, encontra a assinatura inicial da banda do início das raízes do pop-punk dos anos 90 com funk, punk rock e até mesmo reggae.

Enquanto Chuck Comeau observa que o grupo tem se divertido “esticando os limites do que pode ser uma música do Simple Plan”, ele e seus antigos amigos de escola ainda percebem que sua base de fãs, em grande parte jovens, querem ouvir o rock angustiante, energético que os fez um nome familiar.

Falamos com Comeau sobre o novo álbum, escrever canções que irão conectar com os adolescentes, trabalhar com Nelly e como Simple Plan tem se evoluído desde o seu início.

Por que o processo de composição do Taking One For The Team demorou tanto?
Neste ponto da nossa carreira, cada álbum precisa ser especial e realmente bom. O objetivo para nós é ter certeza que cada música poderia ser a música favorita dos nossos fãs… Nós realmente queríamos fazer um álbum que seria tão importante e tão válido para nossos fãs como o primeiro, segundo, terceiro e quarto álbum. Foi por isso que demorou tanto.

Quando você escreve uma música e você está gravando-a, quando você sabe que é uma música que você gostaria de colocar no álbum?
Nós tentamos imaginar nós mesmos como fãs jovens, como crianças crescendo e amando nossas bandas favoritas. Tentamos fazer músicas que nós queríamos comprar em uma loja de discos, que nós queríamos assistir ao vivo. É assim que fazemos isso. Você meio que segue seu instinto. Você tem que ser honesto consigo mesmo e perceber que a primeira cois que vem nem sempre é incrível. Você tem que continuar cavando, sabe?

É difícil de se relacionar com os fãs jovens à medida que vocês ficam mais velhos?
Há muitas emoções que podem ressoar com pessoas de todas as idades. Enquanto você envelhece, você tenta encontrar inspiração na vida que pode significar alguma coisa para seus fãs por aí e tenta encontrar algo em comum. Isso é o que fizemos nesse álbum, sabe? Há muitas canções nele que vêm diretamente do que nós estávamos passando mesmo enquanto escrevíamos esse álbum, porque fazer esse CD foi difícil. Levou um longo tempo e sofremos com isso. Em algum momento, nós meio que nos frustramos com todo o processo e acabamos usando isso como inspiração.

Em “Opinion Overload”, Bouvier canta “Estou fazendo as coisas exatamente como eu quero”. Isso certamente soa como uma declaração.
Ah sim, com certeza. Como uma banda, nós nunca fomos a banda favorita dos críticos. Há muitas pessoas que amam essa banda, mas há muitas pessoas como eles que falam merda. Então para nós, isso meio que foi um comunicado. Sabe de uma coisa? Nós estamos fazendo isso por 15, 17 anos; Ainda estamos aqui. Ainda estamos fazendo isso. Nós estamos orgulhosos do que fazemos. Se você não gosta disso, tudo bem. Tanto faz. Mas nós vamos continuar fazendo o que queremos. E tem dado incrivelmente certo para nós.

“I Don’t Wanna Go To Bed” conta com Nelly. Como foi trabalhar com ele?
Para essa música, nós só queríamos ter um sabor diferente. Queríamos ter apenas alguma coisa que contrastaria com o resto da canção. Nós ligamos para ele e perguntamos se ele estaria interessado e ele amou a canção e foi tipo “Com certeza, estou nessa”. Fomos para LA juntos. Ele foi um cara muito legal, muito talentoso. Ele escreveu sua parte bem na nossa frente no estúdio. Foi legal. Ele estava nos perguntando: “O que vocês acham, rapazes? Gostam dessa parte? Querem que eu faça diferente?” Tipo, cara… Você é o Nelly. Faça como quiser.

Como você acha que o Simple Plan tem evoluído desde o início?
Nós fazemos um show melhor do que já fazíamos. Como compositores, eu acho que escrevemos músicas melhores agora. De muitas maneiras, isso não mudou muito. Nós ainda amamos o que fazemos. Ainda estamos muito apaixonados, comprometidos. Ainda acreditamos nessa banda. Ainda achamos que podemos conquistar ainda mais do que já conquistamos. Somos ambiciosos. Ainda estamos motivados. Continuamos a trabalhar duro, sabe? Continuamos conectados com nossos fãs. Essa tem sido nossa marca registrada desde que começamos.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *